• Daniele Moraes

Amamentação: um momento precioso


Para Rosane Bevilaqua, mãe de Arthur (3 meses), a superação das dificuldades enfrentadas nos primeiros dias de amamentação trouxe a certeza da importância do apoio recebido, garantindo a plenitude desse momento precioso.

Quando o pequeno Arthur de 3 meses nasceu sua mãe, a engenheira civil Rosane Bevilaqua, 32 anos, sentiu-se um pouco frustrada ao ver o bebê com fome sem que ela conseguisse encontrar uma forma mais eficiente e tranquila de amamentá-lo. “Parecia que tudo seria muito fácil e natural. Arthur mamou assim que nasceu (parto natural hospitalar), mas não foi uma etapa fácil, pois ele não estava com a pega correta. Então, me machucou muito nos primeiros dias”. O leite desceu no 4odia e com persistência e paciência tudo ficou melhor depois da primeira semana.

Para Rosane, o principal desafio para uma mãe de primeira viagem é psicológico. “Não estamos preparadas quando algo dá errado. Você ouve de todas as outras mães que amamentar é uma delícia, mas nos primeiros dias, o que eu sentia era muita dor e uma sensação de que não estava nutrindo meu filho como deveria”, conta. Nessa hora, acredita, “é muito importante ter alguém por perto para nos auxiliar e mostrar que dá certo, que a amamentação é um processo de aprendizado tanto para a mãe quanto para o bebê”.

O apoio de profissionais nesse momento foi de fundamental importância, relembra. Rosane recebeu as visitas da doula e da parteira em casa. “Só assim pude perceber que não havia nada de errado comigo e que o início é mesmo muito difícil”.

Além do apoio do marido, que participou ativamente de todo o processo, o pediatra também foi muito importante. “Creio que se o médico não partilha da mesma concepção de aleitamento materno exclusivo, provavelmente já teria sido introduzida fórmula para complementar a amamentação”.

Hoje a “hora do leitinho” é um momento único entre ela e Arthur. “Nos curtimos ao máximo. É uma delícia poder alimentar meu filho e saber que estou dando a ele o alimento mais completo, com tudo o que ele precisa. Não sinto qualquer desconforto e pretendo amamenta-lo até quando ele sentir necessidade”.

Para Rosane, mais importante do que conhecer a parte “técnica” do processo de amamentação, é estabelecer o importante vínculo entre a mãe e filho. “E, se algo não der certo no começo, procure ajuda e não desista, pois o momento da amamentação é precioso!

#amamentação #depoimentos

0 visualização

Fotografias por:  Kátia Ribeiro,  Bia Takata, Lela Beltrão, Marcelo Min, Cristiane Pereira e Carla Raiter / Acervo Casa Moara