Yoga para Mulheres

05/06/2015

 

 

Por que Yoga para Mulheres?
Para, através da Sabedoria Milenar do Yoga, conectarmos com o Feminino Sagrado que habita dentro de nós. As aulas seguem a conexão com as fases lunares para que as mulheres possam resgatar sua natureza cíclica.

 

Por que a prática é específica para Mulheres?
1. Para aprenderem a reconhecer o potencial de cada fase do ciclo menstrual e do seu corpo feminino.
2. Para aprender a acompanhar as mudanças e ritmos interiores.
3. Para desenvolver a capacidade de sentir e reconhecer suas necessidades físicas e emocionais.
4. Conectar-se com as energias das deusas e dos arquétipos femininos presentes nas 4 fases do ciclo feminino.
5. Descobrir e usar o potencial da sua natureza cíclica.
6. Desafiar-se. Compreender-se. Transformar-se. Acolher-se. Aceitar-se.
7. Prática direcionada para equilibrar os hormônios femininos e ser o melhor que pudermos.

 

Quais os benefícios da Prática de Yoga para Mulheres?
1. Relaxa o sistema nervoso.
2. Equilíbrio o sistema endócrino e hormonal.
3. Aumenta o fluxo de sangue e oxigênio aos órgãos reprodutores.
4. Purifica o fígado e fortalece os músculos perineais e pélvicos.
5. Reduz o estresse e aumenta o nível de relaxamento e prazer, permitindo que o hipotálamo regule os hormônios com mais eficiência.
6. Entre muitos outros!

 

Para quais mulheres a prática é indicada?
Para as meninas que acabaram de passar pela menarca, para as mulheres que desejam entender melhor seu ciclo menstrual, para aquelas que desejam aumentar sua fertilidade, para quem deseja engravidar, para aquelas que estão no pós-parto e também para as que estão na menopausa. Para as que estão gestando o indicado é frequentar as turmas exclusivas para gestantes.

 

 Consulte a Agenda da Casa Moara

 

Please reload

Siga a Moara

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

Bebês e crianças têm atividades musicais e sensoriais na Casa Moara

October 15, 2019

1/10
Please reload

Em Destaque

Leia por Tema

Posts Recentes

Please reload

Fotografias por:  Kátia Ribeiro,  Bia Takata, Lela Beltrão, Marcelo Min, Cristiane Pereira e Carla Raiter / Acervo Casa Moara